THE MUBARACK WAY – 24/03/015
auditoria interna x auditoria externa

Sinopse

Auditoria interna e externa não se excluem e precisam ser rigorosamente implantadas em qualquer empresa. Não conformidades representam ouro para as organizações e são desprezadas pela ignorância dos executivos. CEOs e diretores precisam ter mil olhos, não podem simplesmente afirmar que “não sabiam” ou que foram enganados. São caros demais para uma resposta tão pobre. Os dois tipos de auditoria devem coexistir, trocar informações e cobrar a constante vigilância pelos gestores.

Empresas de capital aberto têm auditoria externa e muitas vezes não têm auditoria interna, Empresas de porte médio e capital fechado frequentemente não possuem qualquer processo de auditoria, interno ou externo. Empresas pequenas não possuem nada. Em resumo, todas estão fragilizadas, correm riscos desnecessários e gastam mais do que deviam porque este mísero processo de auditoria, especialmente a interna, não foi implantado.

A auditoria interna é superior à externa (mas não a exclui) por 3 motivos:

1. Os auditores internos conhecem melhor a empresa e sabem onde colocar a lupa;
2. São mais baratas e podem ser realizadas com mais frequência;
3. Desenvolvem os auditores internos, criando recursos humanos valiosos para o futuro da companhia.

Por que auditorias internas não são implantadas? Porque boa parte dos executivos não conhece o processo e nem desconfia dos seus ganhos. As auditorias externas, essenciais para trazer visão de fora, pecam em um ponto: ignoram o sistema de gestão. Um exemplo muito simples: o auditor externo detecta vários pagamentos incorretos na folha. Abre a não conformidade e a pendência do gerente é acertar os pagamentos e não repetir o erro. Porém, a grande não conformidade não é normalmente sequer mencionada pelo auditor externo: a falta de padrão na elaboração da folha, a falta de perfil de quem executa o trabalho ou simplesmente a falta de treinamento. Na auditoria interna, todas as irregularidades são apontadas. Resumindo, a auditoria externa é muito mais superficial do que a interna.

Outro ponto: raramente encontrei empresa onde as duas se falam. A auditoria externa ignora o que foi apontado pelos auditores internos, por arrogância e/ou por ignorância mesmo. Trata-se de um brutal desperdício de tempo para a companhia. Não raro as duas auditorias estão apontando os mesmos itens e, pior do que isto, o gestor apontado pensa que precisa de dois planos, um para cada auditoria. Ridículo!

É preciso ter os dois processos de auditoria implantados com rigor e seus resultados devem ser considerados de alta prioridade pelos diretores e acionistas. Não conformidades representam ouro para qualquer empresa e ninguém pode dar-se ao luxo de não implementá-las.

Paulo Ricardo Mubarack       

Baixe o artigo em PDF