o que é um burro

Sinopse

Burro é um termo que uso com frequência em meus textos e não guarda nenhuma relação com o pobre animalzinho, certamente mais ético e mais inteligente do que os seres humanos a quem me refiro de forma pejorativa. Pois estes últimos às vezes conseguem emprego e detonam empresas praticando diabruras que vão contra a lógica e as melhores práticas de gestão. Os acionistas percebem os burros muito tardiamente, normalmente quando analisam os rombos que esta turma da pesada causa no caixa, no patrimônio, na marca e na cultura de suas empresas. Para ajudar meus leitores a identificar um burro, segue este texto.

Recebi mensagem de um “leitor” com esta pergunta. Bastante irritado, o sujeito pediu que eu definisse um “burro”, termo que uso com frequência em meus textos. A seguir, atendendo ao pedido deste cara, faço um check list que define um BURRO CORPORATIVO, não sem antes excluir desta definição o pobre animal chamado de burro e que certamente tem muito mais condições intelectuais do que os BURROS CORPORATIVOS.

Um BURRO CORPORATIVO:

  1.  Não lê Jim Collins, Jack Welch, Ram Charan, Peter Drucker etc.;
  2.  Não treina sua equipe e não acredita em treinamento;
  3.  Não estuda o que é um PADRÃO;
  4.  Não utiliza OBZ;
  5.  Faz planos de ação ridiculamente pequenos ou nem os faz;
  6.  Acredita que ser “um boa praça” com a equipe é suficiente;
  7.  Acredita que apertar a mão dos funcionários serve para alguma coisa produtiva;
  8.  Afirma que a criatividade é mais importante do que o padrão;
  9.  Adora palavras como FLEXIBILIDADE e PERCEPÇÃO;
  10.  Odeia palavras como EXECUÇÃO, LEITURA DENSA e TREINAMENTO;
  11.  Acredita no relacionamento como algo fundamental e deixa que o gosto pelo RELACIONAMENTO supere o gosto pelas METAS e pela MERITOCRACIA;
  12.  Paga pouco e tem um sistema de bônus insignificante;
  13.  Gosta de puxa-sacos e odeia quem aponta os reais problemas da empresa;
  14.  Acha que sabe muito;
  15.  Abre treinamentos e não participa deles;
  16.  Não sabe que é BURRO;
  17.  Acha que tem sucesso porque explora um punhado de ignorantes, sonega impostos e obtém alguns resultados;
  18.  Faz discurso ignorante, é aplaudido por gente também ignorante ou amedrontada e “acha que abafou”...
  19.  Dispensa ajuda e detesta quem sabe mais do que ele sobre algum assunto.
  20.  Adora velhos agarrados a ele e não treina nem promove jovens;
  21.  Adora fofocas e odeia ciência;
  22.  Debocha dos dados e prefere as estórias;
  23.  Admite palavras como ESQUECER e NÃO DEU TEMPO;
  24.  Acha sagrado o final de semana e nunca trabalha um pouco a mais;
  25.  É tolerante com pequenos deslizes, ignorando a TEORIA DAS JANELAS QUEBRADAS e o TOLERÂNCIA ZERO;
  26.  Sempre acha que “agora não é o momento”    para implantar mudanças;
  27.  PROCRASTINA SEMPRE;
  28.  Fala muito e escuta pouco;
  29.  Não se prepara para o cargo que ocupa;
  30.  É vaidoso;
  31.  Adora grifes;
  32.  Não gosta de ler e admite isto publicamente, com o peitinho estufado;
  33.  Apega-se ao superficial e esquece a profundidade ao analisar um assunto. Gasta horas, por exemplo, “aperfeiçoando” apresentações em Power Point, mas não estuda adequadamente o conteúdo;
  34.  É covarde e “faz xixi nas calças” na frente do chefe;
  35.  Sempre pede mais gente para sua equipe e nunca lembra de aumentar a produtividade;
  36.  Dá extrema importância para roupas e berço e despreza gente mais humilde, mesmo quando estes últimos produzem mais resultados do que os “enfeitados”;
  37.  Faz pose e não se concentra no trabalho;
  38.  Sempre tem uma piada idiota, mesmo em momentos inadequados;
  39.  Não responde e-mails nem atende telefones (a não ser do chefe);
  40.  Não respeita horários, atrasa-se sempre.

 

Este texto é real, sua semelhança com alguns executivos e gerentes NÃO É MERA COINCIDÊNCIA e foi inspirado em fatos recentes e verídicos.

 

 

Paulo Ricardo Mubarack  

Baixe o artigo em PDF